O mistério da piedade



O mistério da piedade

misterio_piedade

 

 

 

Evidentemente, grande é o mistério da piedade: Aquele que foi manifestado na carne foi justificado em espírito, contemplado por anjos, pregado entre os gentios, crido no mundo, recebido na glória (I Tm 3.16)

 

 

 

 

 

O que é mistério?  Da perspectiva bíblica, mistério é uma verdade que estava oculta aos homens, mas que Deus decidiu revelar.  Contudo, não se deve pensar no cristianismo como algo místico ou misterioso. A fé cristã é racional.  É baseada em fatos históricos.  Jesus Cristo é uma pessoa pública e conhecida por milhões de pessoas.  Mesmo assim, ainda persistem certos mistérios sobre Ele, os quais só podem ser compreendidos pelos crentes.  É o grande mistério da piedade.

Em I Tm 3.16, o apóstolo Paulo reuniu todo o mistério da fé, a começar pela encarnação do Filho de Deus.  Como Deus poderia conviver com os homens?  Fazendo-se um deles.  Foi o que Cristo fez:  E o Verbo se fez carne e habitou entre nós…(Jo 1.14). No ventre de Maria, o Deus eterno se limitou e se acomodou ao corpo de uma criança.  Era algo tão grande e misterioso que nem a mãe do menino podia compreender.  Como a  virgem  teria  um filho sem manter relações sexuais com um homem?  O doce milagre se tornaria possível pelo poder do Espírito Santo (Lc 1.35).

Mas Jesus Cristo não foi apenas concebido pelo Espírito Santo. Ele também foi justificado pelo Espírito, que o capacitou para realizar milagres (At 10.38). Cristo ainda ofereceu-se pelo Espírito, que igualmente agiu na sua ressurreição  (Hb 9.14; Rm 8.11).

A expressão: contemplado por anjos– trata-se do relacionamento próximo que os santos anjos tiveram na vida de Cristo.  A anunciação de sua vinda feita a Maria veio do anjo Gabriel. A proclamação do seu nascimento também foi dada por um anjo, que se uniu com um exército celestial em louvor a Deus, enchendo de luzes, vozes e de música os céus de Belém (Lc 1.26;2.9,13). Ao agirem assim, os anjos cumpriam uma ordem recebida de Deus, dada logo depois de introduzir seu Filho ao mundo: E todos os anjos de Deus o adorem (Hb 1.6).

Na prática, os anjos acompanharam o Salvador em toda a sua vida terrena.  No deserto, após a tentação, os anjos o serviram (Mt 4.11).  No Getsêmani, um anjo o confortava (Lc 22.43).  Em frente ao túmulo, os anjos foram os primeiros a anunciar a mensagem da ressurreição (Lc 24.4).  No monte das Oliveiras, os anjos ainda anunciaram a ascensão.  E lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para as alturas?  Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir ( At. 1.11).

Pregado entre os gentios, crido no mundo – refere-se ao mistério da pregação e da fé. Há um mistério na pregação: Se de um lado ela se mostra oculta aos sábios e entendidos, é compreendida e aceita pelos simples, incluindo-se as crianças (Mt 11.25).  Efetivamente, sem a ajuda de Deus ninguém compreenderá a mensagem da cruz. Como dimensionar a altura, a largura e a profundidade do amor de Cristo?  Ainda assim, Deus continua salvando os que crêem através da loucura da pregação da fé (I Co 1.21). Ao longo de 20 séculos, a mensagem da cruz tem sido anunciada e crida no mundo.  O mistério da fé continua sendo revelado.  Como Paulo escreveu:  Ora, aquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério guardado em silêncio nos tempos eternos…para a obediência por fé, entre as nações (Rm 16.25-26).

Ao completar sua missão terrena, Cristo foi recebido na glória.  É o mistério da exaltação.  Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas (Ef 4.10). Muito antes de Cristo ser exaltado, o salmista falou sobre o cerimonial daquele momento eterno: Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó portais eternos, para que entre o Rei da Glória (Sl 24.9).

Grande é esse mistério! O mistério do Deus que se fez homem, morreu, ressuscitou, foi exaltado no céu.  Felizmente, esse mistério  foi revelado para gente como  você e eu.

Pr. A. Paulo.

comments powered by Disqus